sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Uma Religião de Cinco Letras

"Há uma grande diferença entre a tua religião e a minha", disse uma senhora cristã a um amigo em uma conversa sobre crenças religiosas.

"Em que sentido?", perguntou ele.

"Tua religião tem apenas quatro letras, e a minha tem cinco,", ela respondeu.

Aparentemente o amigo dessa senhora era alguém que sentia ser necessário trabalhar e se esforçar para encontrar o caminho para o Céu. Ele seguia fielmente as ordenanças e cerimônias que sua religião requeria em sua tentativa de se tornar aceitável a Deus e ir para o Céu no final de sua vida. Ele baseava sua aceitação naquilo que a Bíblia chama de "obras mortas".

Ele não entendeu a referência que a senhora cristã fez às quatro letras e às cinco letras, e então perguntou: "O que você quer dizer com quatro letras e cinco letras?".

"Deixe-me explicar", disse a senhora. "Sua religião é f-a-ç-a, quatro letras, uma religião que requer que você FAÇA por merecer, já a minha religião é f-e-i-t-o, cinco letras, está tudo FEITO!"

A conversa acabou com este comentário, e a senhora seguiu seu caminho. Sua simples explicação, no entanto, permaneceu nos pensamentos do homem, fazendo com que ele tivesse sérios exames de consciência. Assim que considerou a comparação das duas palavras, a diferença se tornou evidente. Ele esteve tentando seguir regras e regulamentos concebidos e aceitáveis pelos padrões dos homens, mas Deus oferecia perdão de pecados através da obra consumada de Cristo na cruz.

As quatro letras e as cinco letras foram uma maneira incomum e original de explicar o evangelho, e foi bastante apropriado para este homem que havia sido ensinado a seguir restritas leis religiosas com o objetivo de adquirir uma recompensa do Céu. Ele percebeu que ele tinha sido um legalista, esperando que guardar estas leis cancelaria seu pecado, enquanto a Bíblia ensina que nenhuma obra que fizermos pode cancelar um só pecado. "Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia" (Isaías 64:6). "Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou." (Tito 3:5)

A próxima vez que ele viu sua amiga, ele lhe disse: "Agora também posso dizer que minha religião é f-e-i-t-o, FEITO."

O Espírito de Deus mostrou-lhe que suas ações religiosas eram inúteis para remover seus pecados, mas que tudo o que Deus requeria para liquidar a questão do pecado era aceitar a obra consumada de Cristo. Ele entendeu que não era mais uma questão do que ele podia fazer por Deus, mas o que o Filho de Deus fez por ele.

Fonte: http://bibletruthpublishers.com/gospel-tract-a-four-letter-religion-full-color-grace-saviour-sin-finished-work/pd2287

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares