quinta-feira, 25 de setembro de 2014

A Cruz

(Leitura: Mateus 27:27-43)

Vídeo: 


Jesus é levado para ser crucificado, não sem antes passar pelo desprezo dos soldados. Eles tiram sua roupa e colocam sobre suas costas um manto vermelho. Uma coroa de espinhos é colocada sobre sua cabeça e uma vara em sua mão como se fosse um cetro. Então os soldados se ajoelham diante dele e dizem: "Salve, rei dos judeus!". Depois cospem nele e o espancam.

Jesus é levado ao Gólgota ou "Lugar da Caveira", para ser crucificado. No caminho obrigam Simão, um africano de Cirene, atual Líbia, a carregar sua cruz. Os soldados dão a Jesus vinho misturado com fel, uma espécie de anestésico, mas ele se recusa a beber. Mil anos antes o Salmo 22 previu que os soldados fariam um sorteio das vestes de Jesus, e é o que acontece aqui. Sobre a cruz, uma placa trilíngue ironiza: "Este é Jesus, Rei dos Judeus". Hebraico, grego e latim representavam os idiomas da religião, da ciência e do poder.

A multidão que se aglomera em torno da cruz insulta aquele que alimentou seus famintos e curou seus enfermos. Será que entre aquelas bocas que xingavam Jesus estava algum mudo que ele fez falar? Daqueles punhos levantados contra ele, será que tinha algum paralítico de nascença? E dentre os olhares que fuzilavam o Filho de Deus na cruz, quiçá alguns tinham acabado de inaugurar a dádiva da visão! 

Uma coisa é certa: quem estava sendo desprezado ali, em um frágil corpo humano, era o Criador. O apóstolo João escreveria depois em seu evangelho: "Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito". Isso inclui a multidão, o espinheiro de onde saiu sua coroa, a árvore de onde veio a cruz e o minério transformado nos pregos que prendem suas mãos e seus pés.

Por volta do século 12 um monge francês, Bernardo de Claraval, descreveu a crucificação em uma obra poética que fala dos pés, joelhos, mãos, lado, peito, coração e face de Jesus. Uma adaptação do último poema diz assim:

Oh! Quão ensanguentada, ferida está em dor,
Cruel coroa fere a fronte sem vigor.
Oh! Quantos escarnecem de Tua condição
E zombam dessas dores, ferindo o coração!

Sem luz estão Teus olhos, não brilham mais assim,
Por que, Senhor, se apagam? Por nós sabemos, sim!
Tão grandes sofrimentos, nós, em pecados vis,
Causamos rudemente, que o Sol brilhar não quis.

Jesus, ó nosso Amado! Sofreste ali por nós,
Sem cor desfaleceste, opresso em dor atroz.
Palavras não expressam a nossa gratidão
Por Tua sempiterna, fecunda redenção.

Curiosamente os ladrões crucificados ao lado de Jesus se unem ao coro da multidão, e também xingam Jesus. Então algo acontece com um deles. Nos próximos 3 minutos.

sábado, 20 de setembro de 2014

Boas Notícias para Você: Deus te Ama!

"Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3:16)

"Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores." (Romanos 5:8)

"Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós" (1 João 3:16)

"Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados." (1 João 4:10)

"Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados." (Isaías 53:5)

"O Senhor... não quer que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se." (2 Pedro 3:9)

"Não há um justo, nem um sequer." (Romanos 3:10)

"Não há diferença. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus." (Romanos 3:22-23)

"Qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos." (Tiago 2:10)

"Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós." (1 João 1:10)

"Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho" (Isaías 53:6)

"Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores" (1 Timóteo 1:15)

"Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele." (João 3:17)

"Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo" (Atos 16:31)

"Pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles." (Hebreus 7:25)

"E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos." (Atos 4:12)

"O Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido." (Lucas 19:10)

"Vinde então, e argüi-me, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã." (Isaías 1:18)

"O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado." (1 João 1:7)

"Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto." (Isaías 55:6)

"Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação" (2 Coríntios 6:2)

"Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações" (Hebreus 3:15)

"Não presumas do dia de amanhã, porque não sabes o que ele trará." (Provérbios 27:1)

"Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o" (1 Reis 18:21)

"Escolhei hoje a quem sirvais" (Josué 24:15)

"Inclinai os vossos ouvidos, e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá" (Isaías 55:3)

"Tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas... pois ele é a tua vida" (Deuteronômio 30:19-20)

"Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação" (Hebreus 2:3)

"O salário do pecado é a morte" (Romanos 6:23)

"A alma que pecar, essa morrerá" (Ezequiel 18:20)

"Se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis." (Lucas 13:3)

"Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece." (João 3:36)

"Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida." (João 5:24)

"E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste." (João 17:3)

"O que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora."(João 6:37)

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

A Voz do Povo

(Leitura: Mateus 27:11-26)

Veja: 


 
O primeiro julgamento de Jesus foi religioso. Ele foi condenado por se declarar o Cristo, o Filho de Deus, fazendo-se assim igual a Deus. Mas essa acusação não era suficiente para o tribunal secular romano, por isso os judeus adotam outra estratégia ao entregar Jesus a Pilatos. No evangelho de Lucas há três acusações que os judeus fazem diante dos romanos: que Jesus era um revolucionário, incitava a população a não pagar impostos a César e declarava ser o rei dos judeus.

A coisa toda é surreal. Por que? Oras, Israel era uma nação invadida e os romanos eram os inimigos. Vamos chamar Israel de França, Roma de Alemanha e César de Hitler para entendermos melhor o que está acontecendo aqui. Imagine durante a 2ª Guerra um cidadão francês sendo entregue pelos franceses aos alemães por ser um revolucionário que luta contra os invasores, incita a população a não pagar impostos a Hitler e ainda alega ser o presidente da França!

Oras, aquele francês era exatamente o que os franceses precisavam, e seria um absurdo entregá-lo ao inimigo. Pois é o que acontece aqui. O ódio dos judeus contra Jesus é tão grande que eles não têm qualquer escrúpulo em se unir ao inimigo para conseguir a morte do Filho de Deus.

"Você é o rei dos judeus?", pergunta Pilatos. Jesus confirma. Os judeus, então, descarregam sobre ele uma torrente de acusações, mas só encontram o silêncio de Jesus como resposta, o que surpreende Pilatos. Como parte das festividades da Páscoa, era costume dar anistia a um condenado, e Pilatos tem, além de Jesus, outro candidato à anistia: Barrabás, um ladrão e homicida. A escolha é democrática.

Se alguma vez você achou que a expressão "a voz do povo é a voz de Deus" tinha alguma coisa a ver com a Bíblia, aqui está a prova em contrário. Nesta eleição democrática o povo é unânime em escolher o bandido Barrabás. A voz do povo é a voz do povo, só isso, pois o povo é, por natureza, inimigo de Deus. Todos os seres humanos são assim. É aí que entra a maravilha da graça de Deus em salvar o pecador, não por seus méritos, mas porque Deus quer salvá-lo.

Você não chega à fé em Jesus por ser melhor ou ter tido uma grande sacada ao entender o evangelho. Pode até parecer que, no momento de sua conversão a Cristo, era você quem estava no comando, mas depois você acaba entendendo que Deus trabalhava nos bastidores para que esse encontro com o Salvador pudesse acontecer. Longe de livrar você da responsabilidade de crer em Jesus, isso glorifica a Deus, e não ao homem, pela salvação.

Ou você acha que, sendo inimigo de Deus por natureza, tão mau quanto eu, Pilatos ou qualquer um daqueles judeus, você daria o seu voto a Jesus? Não. Eu e você também teríamos escolhido Barrabás. E se você pensa o contrário, ainda não entendeu o que é ser um pecador necessitando desesperadamente da graça e da misericórdia de Deus para ser salvo. Nos próximos 3 minutos Jesus é crucificado.
 

domingo, 7 de setembro de 2014

Deus Não é Uma Máquina de Venda Automática

Antes de explicar o que quero dizer com "Deus não é uma máquina de venda automática (vending machine)", vamos pensar sobre tais máquinas por um momento. Elas são, na verdade, muito simples. Você coloca algumas moedas, pega seu salgadinho, doce ou refrigerante e vai embora. Você faz sua parte, elas fazem a parte delas e todos ficam felizes... exceto quando elas não fazem a parte delas. As vending machines "engolem" sua moeda e você se encontra batendo, balançando, chutando ou fazendo qualquer outra coisa para que ela te responda da maneira que você espera. Às vezes elas acabam cuspindo o produto e outras vezes você acaba indo embora sem moedas nem guloseimas, cheio de frustração. Não voltamos, então, a perdermos nosso tempo naquela máquina que não age como deveria.
Como ser bem sucedido no ramo de máquinas de venda automática 
Imagine, por um momento, que você trate suas pessoas amadas dessa maneira. Damos-lhes presentes em troca do que queremos. Elas fazem a parte delas e nós a nossa. Fazemos nossa parte e então nos viramos e vamos embora. Vamos embora até querermos outra guloseima. Então voltamos para colocarmos outra palavra amável, um presente e ganhamos outra recompensa. Muitas pessoas agem dessa maneira, mas tal egoísmo não contribui em nada para lares felizes. Eventualmente a "máquina" com a qual vivem não funcionam direito e então vão embora procurando onde se recostar.

É estranho, também, observar quantas pessoas se aproximam de Deus à sua própria maneira como se quisessem fazer um acordo com um Deus Todo-Poderoso em troca de um pequeno "prazer". Enquanto nos sentimos "espirituais", meditamos, aparecemos em eventos religiosos, vivemos pelo nosso próprio senso de certo e errado, e pensamos que quando nos sentimos "bagunçados" ainda podemos esperar um retorno decente de nossos "investimentos". Se somos "muito espirituais" e investimos muito em nossas boas obras então podemos esperar um grande retorno. Acreditamos que só um pouquinho de esforço e conseguimos apenas um pequeno cantinho no Céu.


Mas Deus não é uma espécie de máquina de venda automática impessoal à nossa disposição. Ele é o Todo-Poderoso e eterno Deus Criador que deseja um relacionamento com nós de acordo com Sua própria perfeita visão. Ele nos apresentou Seu amor e avisos em Seu livro, a Bíblia. Estamos espiritualmente falidos sem nada de valor para levar a Ele. "Todas as nossas justiças são como trapo da imundícia" (Isaías 64:6). Nós ofendemos um Deus santo com nossos pecados. "As vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus" (Isaías 59:2). Deus deseja que nós nos aproximemos dEle, não com boas obras e grandes palavras, mas com humildade e arrependimento, reconhecendo o que merecemos: não mimos, mas sim condenação. "O salário do pecado é a morte" (Romanos 6:23)

Quando nos chegamos a Ele em arrependimento, descobrimos que a bondade de Deus excede em muito nossas expectativas. "Porém tu, ó Deus perdoador, clemente e misericordioso, tardio em irar-te, e grande em beneficência" (Neemias 9:17). Encontramos um Deus de amor e bondade. "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3:16). Reconheça seu pecado e chegue-se a ele pela fé para receber seu amor e bondade imerecida.

sábado, 6 de setembro de 2014

O Arrependimento de Judas

(Leitura: Mateus 27:1-10)

Vídeo:


Jesus é condenado à morte pelos sacerdotes e líderes religiosos. Mas, por estarem sob domínio romano, eles não podem executar a sentença à maneira de Israel, por apedrejamento. Por isso entregam Jesus ao governador Pilatos. Se este o sentenciar à morte, esta será por crucificação, o método romano de execução.

Os profetas do Antigo Testamento previram isso. Mil anos antes Davi descreveu a crucificação de Jesus no Salmo 22: "Traspassaram minhas mãos e meus pés". No Salmo 34 ele previu ainda que nenhum de seus ossos seria quebrado, ao contrário do procedimento normal, que era quebrar as pernas do crucificado para acelerar a morte por asfixia.

Enquanto isso, Judas parece arrependido do que fez, mas por outras passagens vemos que ele estava interessado mesmo era no dinheiro. Sua ganância o tornava vulnerável à influência de Satanás, que agia nos bastidores. Alguns contestam a culpa de Judas, alegando que ninguém pode ser responsabilizado por atos cometidos sob uma influência externa, no caso, Satanás. Vá dizer isso aos juízes que condenam motoristas que causam acidentes sob o efeito do álcool. A influência externa entrou em cena porque a pessoa abriu mão de sua responsabilidade interna.

Essa influência pode também vir de Deus, precedida pela insubordinação do homem contra o seu Criador. Depois que Faraó, no antigo Egito, decidiu ignorar os avisos de Deus transmitidos por Moisés, Deus endureceu o coração de Faraó. Primeiro veio a insubordinação de Faraó, depois o endurecimento vindo de Deus. Em 2ª Tessalonicenses capítulo 2 você lê que, em um tempo ainda futuro, aqueles que não creram em Jesus serão levados, por Deus, a crer no anticristo. 

O arrependimento de Judas é diferente do de Pedro. Embora Pedro também tenha sido influenciado por Satanás no capítulo 16 de Mateus, quando negou que Jesus iria morrer, seu arrependimento por negar conhecê-lo foi sincero e sua restauração é prova disso. Judas não. Ele não se arrepende de seu pecado, mas das consequências. Para entender isso, pense em um corrupto. Sua cara de decepção ao ser preso não é pelo mal cometido, mas por ter sido pego e pela desonra que irá sofrer, além de perder a fonte de renda. Judas prefere tirar a própria vida a enfrentar essas consequências. Ainda hoje você encontra acusados de corrupção agindo assim em países como o Japão.

Os religiosos judeus são criteriosos em não lançar no tesouro do Templo as 30 moedas devolvidas por Judas, por considerarem aquele dinheiro originário de um crime de sangue. Ao decidirem usar o dinheiro para comprar um campo para servir de cemitério de estrangeiros eles dão a eles mesmos um atestado de criminosos e hipócritas. Mateus escreve que aquele campo "se chama Campo de Sangue até hoje".

Nos próximos 3 minutos Jesus é entregue a Pilatos.

Postagens populares