quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Numa Manjedoura

(Mensagem de Natal. Comentário do Evangelho de Lucas, capítulo 2)

Veja:

Neste capítulo 2 do evangelho de Lucas fomos transportados dos ricos aposentos reais de César Augusto em Roma para um sujo estábulo em Belém, onde um casal pobre acomoda numa manjedoura o recém-nascido Jesus. "Porque não havia lugar para eles na hospedaria" (Lc 2:7). Agora somos levados à zona rural, a alguns pastores de ovelhas do turno da noite, os menos qualificados daquela profissão. 

"Um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu ao redor deles", e o anjo lhes diz: "Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador que é Cristo, o Senhor. Isto lhes servirá de sinal: encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura". Então uma grande multidão do exército celestial apareceu com o anjo, louvando a Deus e dizendo: "Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor" (Lc 2:9-14).

O anúncio do Filho de Deus vindo ao planeta Terra na forma humana não é dado ao clero, mas a homens simples que trazem no peito um coração de criança para crer nas coisas de Deus. Por quê? Porque o clero judeu espera o Messias vindo em poder e glória e não acreditaria que o Salvador do mundo pudesse entrar em cena na forma de um "bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura".

Se você busca a verdade, saiba que ela não está com os líderes religiosos. Estes estão muito ocupados com seus dogmas, cargos e posições para crerem na simplicidade da Palavra de Deus ou reconhecerem que a verdade é dada aos simples. O conhecimento de Deus não vem das faculdades de teologia, mas do que o Espírito Santo ensina por intermédio dos diferentes dons dados à igreja.

Em 1 Coríntios 14:26-40, há instruções claras de como os cristãos devem se reunir. "Quando vocês se reúnem... falem dois ou três, e os outros julguem cuidadosamente o que foi dito. Se vier uma revelação a alguém que está sentado, cale-se o primeiro. Pois vocês todos podem profetizar, cada um por sua vez, de forma que todos sejam instruídos e encorajados". Repare que ali não há um líder à frente da congregação, pois é o Espírito Santo quem dirige a reunião e distribui os dons conforme ele quer. Acaso é assim no lugar onde você congrega? Se não for, prefira a ordem de Deus ao invés da organização do homem.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Não Havia Lugar

(Mensagem de Natal. Comentário do Evangelho de Lucas, capítulo 2)

Veja:


Vimos Deus movendo ao seu bel prazer o governante mais poderoso da terra para que Maria estivesse no lugar previsto pelo profeta para o nascimento de Jesus. Se, por um lado, Deus manipula os reis para cumprir seus propósitos, por outro ele chama os desprezíveis para fazerem parte de sua família. Por isso Tiago escreve: "Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?" (Tg 2:5). 

Quem é verdadeiramente pobre não tem em que se agarrar no dia da necessidade; não se apoia em seus bens, na sua justiça, nas boas obras ou qualquer capacidade que possa usar como moeda de troca para sua salvação. Deus não quer os abastados, mas os necessitados; não busca os sãos, mas os enfermos; não se impressiona com os sábios, pois quer os loucos. Ao dirigir-se aos cristãos congregados na cidade de Corinto, o apóstolo Paulo escreveu: 

"Pensem no que vocês eram quando foram chamados. Poucos eram sábios segundo os padrões humanos; poucos eram poderosos; poucos eram de nobre nascimento. Mas Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios, e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes. Ele escolheu as coisas insignificantes do mundo, as desprezadas e as que nada são, para reduzir a nada as que são, para que ninguém se vanglorie diante dele" (1 Co 1:26-29).

José e Maria são pobres, por isso não conseguem vaga em Belém. Sem dinheiro, poder ou influência, só lhes resta colocar o recém-nascido Jesus num caixote usado para alimentar o gado. Lucas explica a razão: "Porque não havia lugar para eles na hospedaria" (Lc 2:7). Há dois mil anos Deus veio ao mundo na forma humana e não encontrou lugar. 

Nada mudou desde então. Não se iluda com tantas religiões, catedrais e monumentos criados pelo homem: o mundo continua não tendo lugar para Jesus. Ao criticar os fariseus, que adoravam e serviam a Mamom, o "deus dinheiro", Jesus afirmou: "Vocês são os que se justificam a si mesmos aos olhos dos homens, mas Deus conhece os corações de vocês. Aquilo que tem muito valor entre os homens é detestável aos olhos de Deus" (Lc 16:15).

Se você tem procurado por Jesus entre os que vivem falando em dinheiro e buscando prosperidade, você está no lugar errado. "Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?" (Tg 2:5). Ali não tem lugar para Jesus, nesses lugares onde você busca prosperidade.

sábado, 27 de dezembro de 2014

Belém

(Mensagem de Natal. Comentário do Evangelho de Lucas, capítulo 2)

Veja:


Maria creu nas palavras do anjo, de que de seu ventre sairia o Emanuel, ou "Deus conosco". Afinal, mesmo sem ter uma relação sexual ela tinha ficado grávida após o Espírito Santo vir sobre ela e o poder do Altíssimo a cobrir com sua sombra. O bebê, chamado pelo anjo de "Filho de Deus", foi chamado por Isabel de "Senhor".

Maria e Isabel sabem da promessa feita pelo profeta Isaías: "Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel ou "Deus conosco" (Is 7:14). O mesmo profeta previu: "Um menino nos nasceu... E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Ele estenderá o seu domínio, e haverá paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, estabelecido e mantido com justiça e retidão, desde agora e para sempre" (Is 9:6-7).

Mas onde nasceria o menino? Maria sabe, pois o profeta Miqueias avisou: "E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade" (Mq 5:2). Portanto Maria ficaria grávida virgem, seu filho seria o "Deus conosco", ele assumiria o trono de Davi e estabeleceria um reino de paz sem fim. Por ser Deus, ele existiria "desde os dias da eternidade".

Mas espere! O profeta Miqueias disse que o Messias nasceria em "Belém"? Maria mora em Nazaré, a 150 quilômetros de distância ou um mês de caminhada. Ou o bebê não é o Messias prometido a Israel, ou algo precisa acontecer para colocar aquela jovem grávida na hora e lugar previstos para o parto. É o que acontece no primeiro versículo do capítulo 2 de Lucas:

"Naqueles dias César Augusto publicou um decreto ordenando o recenseamento de todo o império romano... E todos iam para a sua cidade natal, a fim de alistar-se. Assim, José também foi da cidade de Nazaré da Galileia para a Judéia, para Belém, cidade de Davi, porque pertencia à casa e à linhagem de Davi. Ele foi a fim de alistar-se, com Maria" (Lc 2:1-5).

O livro de Provérbios diz que "o coração do rei é como um rio controlado pelo Senhor; ele o dirige para onde quer" (Pv 21:1). Nem o imperador romano sabe que está sendo uma marionete nas mãos de Deus. Assim é com todos os governantes, por mais que eles acreditem que sejam eles que estão no controle.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

O Salvador de Maria... e Seu Também

(Mensagem de Natal. Comentário do Evangelho de Lucas, capítulo 1)

Veja:
Quando Isabel termina seu cântico bendizendo a Maria e ao fruto de seu ventre, é a vez de Maria dar início ao seu belíssimo cântico, que lembra em muitos aspectos o cântico de Ana, mãe do profeta Samuel, no Antigo Testamento. O cântico de Maria não é de exaltação própria, mas de reconhecimento de sua origem humilde e da graça que sobre ela foi derramada por Deus, dando a ela o privilégio de abrigar em seu ventre Jesus, o Salvador.

Suas primeiras palavras apontam o caminho para qualquer um que queira se aproximar de Deus: Primeiro, reconhecer e engrandecer o Senhor e, segundo, confessar sua condição de pecador e necessitado de um Salvador. É o que Maria faz ao dizer "a minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador" (Lc 1:46-47). Maria não teria chamado a Deus de "meu Salvador" se não necessitasse de salvação como qualquer pecador. Eu acredito no que Maria disse, e espero que você não esteja entre os que duvidam dela.

No Antigo Testamento você encontra pelo menos três vezes a frase "não há quem não peque" (1 Rs 8:46; 2 Cr 6:36; Ec 7:20). Paulo cita uma dessas passagens na carta aos romanos, ao dizer: "Não há nenhum justo, nem um sequer; não há ninguém que entenda, ninguém que busque a Deus. Todos se desviaram, tornaram-se juntamente inúteis; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer" (Rm 3:10-12). Ele está falando de mim, de você, de Maria e de todos os seres humanos, com exceção de Jesus, que não teve pai humano. Todos igualmente pecadores e necessitados de chamar ao Senhor de "meu Salvador".

Ao reconhecer-se necessitada de um Salvador, Maria não incorre no pecado da mentira, do qual João fala em sua primeira epístola: "Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. Se afirmarmos que não temos cometido pecado, fazemos de Deus um mentiroso, e a sua palavra não está em nós" (1 Jo 1:8-10).

A pior coisa que alguém pode afirmar é que não é pecador. Os fariseus eram assim, e mais tarde Jesus diria a eles que "não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Eu não vim chamar justos, mas pecadores ao arrependimento" (Lc 5:31-32). Os que dizem que Maria era sem pecado podem ter boa intenção, mas não têm base bíblica. Jesus é o único que nasceu sem pecado e nem poderia pecar, por ser Deus e Homem.

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Por Que o Nascimento de Cristo Não Foi o Suficiente?

Sem dúvida, você já deve ter visto a representação do nascimento de Jesus Cristo em uma manjedoura. Maria, a virgem, deu à luz a Jesus, o Filho de Deus. "E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem." (Lucas 2:7). Milhões já nasceram e morreram. Pela primeira e única vez na história, nasceu um bebê que cresceria sem demandar atenção para si de modo egoísta. Um adolescente viveria sem nunca desejar seguir Seu próprio caminho. Um jovem honraria Sua mãe sem nunca ser imprudente para com ela. Um homem viveria sem pecado e teria o direito de viver para sempre. Deus havia profetizado isto muitos anos antes: "Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco." (Isaías 7:14, Mateus 1:23). Bilhões continuaram nascendo e morrendo desde aquele nascimento em Belém.

Meramente um Homem Maravilhoso?


Muitos olham para aquele homem, Jesus Cristo, como um exemplo maravilhoso, um ideal a se perseguir, ou uma distante, vaga e amigável figura. De fato, Seu nascimento e Sua vida deu tremendo prazer a Deus, o Pai. Deus disse: "Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo" (Mateus 3:17). Mas Deus, o Pai, tinha um propósito ainda mais profundo ao enviar Seu Filho para se tornar um homem. "O Pai enviou seu Filho para Salvador do mundo" (1 João 4:14). O pecado poluiu o universo de Deus e Ele não pode aceitar pecadores em Sua presença. Ele afirmou claramente que "a alma que pecar, essa morrerá" (Ezequiel 18:20). Cada um de nós estamos diante das consequências de nossos pecados - a morte e a eterna separação de Deus. Não pode haver pagamento por pecados sem haver alguém que dê sua vida. "Sem derramamento de sangue não há remissão" (Hebreus 9:22)

Levados a Deus


Jesus Cristo veio não só nascer e viver um vida perfeita, mas morrer e sofrer pelo pecado, "o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus" (1 Pedro 3:18). Ele tinha todo o direito de retornar ao Céu sem morrer. Ele não fez nada digno de morte. No entanto, o Senhor Jesus escolheu permitir que Ele mesmo fosse açoitado, insultado e crucificado. Então, enquanto pendurado na cruz, Ele aceitou a punição de um Deus santo contra o pecado  no lugar dos que o cometeram. Agora Ele pode oferecer uma justa salvação para qualquer um que vá até Ele para recebê-la.  Meramente uma vida perfeita, seja quão bonita for, não seria suficiente para salvar quem quer que seja, pois o amor de Deus nunca se satisfaria com apenas isso. "Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores." (Romanos 5:8). E você, irá a Deus como um pecador para receber a salvação que Jesus Cristo, que agora está ressuscitado dentre os mortos, te oferece?


sábado, 20 de dezembro de 2014

O Verdadeiro Deus

(Mensagem de Natal. Comentário do Evangelho de Lucas, capítulo 1)

Gabriel não deixa Maria em suspense. Afinal, ela quer saber como poderá ser uma virgem mãe, e ainda mais de alguém tão extraordinário. Ele explica a Maria o inexplicável: "O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Altíssimo a cobrirá com a sua sombra. Assim, o Santo que há de nascer será chamado Filho de Deus" (Lc 1:35).

Tente imaginar a cena: Maria, uma jovem comum, morando em Nazaré, cidade da qual os judeus costumavam dizer que nenhuma coisa boa podia vir dali (Jo 1:46), e noiva do jovem José, que logo ficará sabendo que ela está grávida de outro. A coisa toda já seria estranha sem a informação de que tal concepção será virginal.

Mas o assunto de Deus em sua Palavra não é Maria, e sim Jesus. Tudo, de Gênesis a Apocalipse, gira em torno dele e felizes aqueles que são figurantes nos eventos estrelados pelo Filho de Deus. Maria é uma privilegiada, porém não foi por meio dela e para ela que Deus criou todas as coisas. Foi por Jesus e para Jesus. (Cl 1:16-17, Jo 1:3)

"Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito. Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens" -- diz João na abertura de seu evangelho. Maria é mencionada pela última vez no início do livro de Atos. Ela não é mencionada nas epístolas ou cartas dos apóstolos.

A concepção virginal é uma verdade fundamental do cristianismo e qualquer pessoa ou religião que não a confesse não é de Deus. Trata-se de um evento sobrenatural, uma concepção do Espírito Santo. Outro ponto importante é que Jesus já existia antes. A concepção é o início apenas de sua história humana. João, em seu evangelho, explica que Jesus existia desde o princípio, ou seja, na eternidade, e em sua primeira epístola o chama de "Verdadeiro Deus". Em Isaías 9:6, o mesmo versículo que anuncia sua vinda como um menino, ele é chamado de "Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz"

Entenda também que Jesus já era Filho de Deus antes mesmo de vir em um corpo de carne, por ser uma das três Pessoas divinas da Trindade, juntamente com o Pai e o Espírito Santo. Ele era Filho de Deus antes, foi Filho de Deus durante sua vida aqui, e é Filho de Deus para sempre como Homem ressuscitado e glorificado. Ao nascer como um ser humano ele assumiu também títulos de Filho do Homem e Filho de Davi, ascendência garantida por sua linhagem humana.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Natal em Teu Coração!

(Mensagens de Natal)

"E ela deu à luz o seu filho primogênito, enfaixou-o e o deitou numa manjedoura porque não havia lugar para eles na hospedaria" (Lucas 2:7)

"Noite de paz, noite de amor". Milhões de pessoas cantam esse hino durante a época do Natal. O problema é que as pessoas acabam transferindo a ênfase desse acontecimento do menino para a própria festa. Mas é de significado e importância eternas que você tenha um encontro decisivo com esse menino. Está escrito em Atos 4:12: "E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos." Esse nome é o nome de Jesus Cristo. Se você quer ter comunhão com Deus, isso somente é possível por meio de Jesus Cristo. Ele disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim." (João 14:6). Se você quer ter justiça, se quer ser justo diante de Deus, somente poderá tê-la através de Jesus Cristo, "o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça..." (1 Coríntios 1:30). Se você quer encontrar paz para tua alma, isso somente será possível através de Jesus, pois a Bíblia diz em Efésios 2:14: "... ele é a nossa paz". Você quer ser salvo e redimido dos seus pecados? Somente podes sê-lo por intermédio de Jesus, pois também quanto a esse assunto, a Escritura diz: "Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas..." (Efésios 1:7). 

Vamos tomar nota de alguns fatos sobre o Natal:

1. Ele veio durante a noite, quando tudo estava escuro; quando todos dormiam, em meio a tudo isso veio ele, a luz do mundo. Os habitantes da terra não se deram conta desse fato, eles seguiram dormindo... e esse tremendo acontecimento passou sem tocá-los. Mas os moradores do céu presenciaram o evento. Multidões de anjos encheram os ares e falaram, cheios de louvor e júbilo: "Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens." (Lucas 2:14). Prezado amigo, você também é um dos moradores da terra. Na tua alma reina a noite. O pecado obscureceu todas as coisas em você. Mas Jesus Cristo veio e disse: "Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida." (João 8:12). Jesus não somente nasceu durante a noite, mas também morreu em meio à terrível escuridão, para que você pudesse ter a vida eterna. Felizes são todos aqueles que vieram a Jesus, à luz, com toda a noite do seu pecado! É verdade que também meu pecado foi revelado completamente em sua presença. Mas a Bíblia diz: "Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado." (1 João 1:7). Não se trata somente da luz que revela e castiga, mas temos também a ele, o purificador de todos os pecados. Com isso chegamos ao segundo ponto:

2. Ele veio em uma estrebaria. Imagine a situação: o próprio Deus, a quem os céus dos céus não podem conter, ao chegar à terra teve uma estrebaria como sua primeira "residência"! Nisso vemos sua meta e seu mais intenso interesse. Do mesmo modo como essa estrebaria se transformou em um palácio real e recebeu consagração divina, ele quer viver em teu coração. Meu amigo, pergunto-te com muita seriedade: Qual é o aspecto do teu coração? Não é ele como uma estrebaria cheia de impurezas, de pecados, de impulsos animalescos? Deixe Jesus entrar em teu coração. Ele o porá em ordem. Seu sangue te purificará. Ele quer transformar o estábulo do teu coração em um palácio, em um templo.

3. Ele veio em indizível pobreza. Ao nascer ele ficou deitado numa manjedoura que não lhe pertencia. Mais tarde, ele montou num jumento que não era dele, navegou em um barco que não era seu e ao morrer foi posto em um sepulcro de outro. Ele, a quem pertencem o céu, a terra e todas as coisas, tornou-se pobre. Em 2 Coríntios 8:9 está escrito: "Porque já sabeis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre; para que pela sua pobreza enriquecêsseis.". Meu amigo, falta-te prazer de viver? Você está carente de poder, vitória e esperança? Isso não deve continuar sendo assim, pois durante essa sagrada noite de paz veio alguém para você. Alguém que se despojou do seu indescritível poder e majestade para ficar deitado na manjedoura de Belém como uma criança impotente. Ele deixou tudo isso por causa de você. Lemos a seu respeito que teve fome. Por quê? Para que pudesse ser o pão da vida para você. Na cruz ele exclamou: "Tenho sede". Por quê? Para que pudesse dar-te a água da vida. A Bíblia também diz que durante os dias da sua carne ele derramou lágrimas e clamou, para poder enxugar as tuas lágrimas. Lemos em João 4:6 que ele se cansou, para poder ser teu verdadeiro descanso. Ele morreu, para que tu vivas. Por que não queres receber a esse Jesus? Somente então tua mais profunda fome será satisfeita, pois:

4. Ele veio a Belém. Belém significa "casa de pão". Dessa casa de pão veio o pão da vida: Jesus! Ele disse: "Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre" (João 6:51). Que feliz e bendita mensagem de Natal! Quando Jesus nasceu na estrebaria de Belém, todo o céu reagiu de maneira impressionante. Os exércitos angelicais se regozijavam e louvavam a Deus. Esse acontecimento no Natal repete-se cada vez que um coração se abre para Jesus. Tão logo te aproximas dele, dizendo-lhe: "Senhor Jesus, abro meu coração para ti, entra nele, nasce também em mim", repete-se essa maravilhosa história. Jesus disse: "... assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende" (Lucas 15:7).

Vivemos em uma época muito séria. Não somente olhamos para trás, para a primeira vinda de Jesus no Natal, mas esperamos também ansiosamente pelo seu retorno. Cremos que ele pode vir a qualquer momento. Talvez este seja teu último Natal nesta terra, meu querido amigo. Talvez esta seja tua última oportunidade de experimentar um Natal. Rogo-te que não deixes passar este dia sem que tenhas realmente entregado teu coração a Jesus, sem que o tenhas recebido no coração. Pois mesmo que Cristo tivesse nascido milhares de vezes em Belém, mas não em você, ainda assim estarias perdido.


L

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

A Verdadeira História do Natal

(Mensagens de Natal)

Era uma vez – há muito tempo, sem neve e nem dezembro – alguns homens sábios – ninguém sabe se eram três – que chegaram do Oriente a Israel para visitar a criança que tinha nascido para ser Rei de Israel. Como eles souberam do nascimento? Bem, foi Deus quem revelou isso e usou uma estrela para guiá-los. Um cometa? Não acredito. Já viu um cometa que às vezes anda e às vezes pára sobre uma casa?

Chegando em Jerusalém, os sábios descobriram que estavam com um probleminha. Israel já tinha um rei, Herodes, que não queria nem um pouco descer do trono. Ele ficou perturbado, e não apenas ele, mas toda a população de Jerusalém. Já viu isso? Todo mundo ficar perturbado porque outro Rei iria tomar o lugar de Herodes? Pois é, ninguém queria Jesus. O pessoal era da opinião de que em time que está ganhando bem não se mexe.

Esta história você encontra nos Evangelhos, principalmente em Mateus. Em outro lugar aparece o que as pessoas de Jerusalém estavam realmente pensando: "Não queremos que este reine sobre nós". (Lucas 19:14) Isso não é novidade nenhuma. A gente já nasce assim, inimigos de Deus e de Cristo. (Romanos 5:10) Mas vamos continuar nossa verdadeira história do Natal.

O rei Herodes mandou os principais sacerdotes e escribas – os teólogos e doutores da época – pesquisarem o que estava escrito nas profecias dos antigos profetas. Sabe o que acharam? "E tu, Belém, terra de Judá, De modo nenhum és a menor entre as capitais de Judá; Porque de ti sairá o Guia Que há de apascentar o meu povo de Israel." (Mateus 2:6, ver também Miquéias 5.2)

Aí o rei armou um plano. Perguntou aos sábios – é esta a interpretação correta para a palavra "magos" – quando foi que viram a estrela, para poder calcular direitinho a data de nascimento do novo Rei, e pediu que avisassem quando encontrassem a criança. Herodes disse que queria ir até lá adorar o menino, mas o que ele queria mesmo era matá-Lo. Percebeu como a história da paixão e morte de Cristo começou muito tempo antes? A verdadeira história do Natal tem seu desfecho na cruz do Calvário.

Finalmente os sábios, guiados pela estrela, chegaram à casa onde estava o menino. Casa? Isso mesmo, casa. Ué?! E a história da cocheira, da manjedoura, do burrinho e da vaquinha de presépio? Ou cadê a gruta de algumas versões? Bem, Jesus nasceu mesmo num lugar humilde, provavelmente numa cocheira, e seu primeiro berço foi uma manjedoura. Por que? Oras, porque não havia lugar para Ele em nenhuma estalagem (Lucas 2:6). Na maioria dos corações das pessoas hoje ainda está escrito "NÃO HÁ VAGA" para Jesus. E no seu?

Sinto ter estragado aquela ideia romântica que você tinha do presépio, mas a verdade é que quando os sábios chegaram com seus presentes, José, Maria e Jesus já estavam numa casa e provavelmente o menino era bem crescidinho, pois os sábios não vieram do Oriente de avião, mas caminhando ou montados em animais. Meses se passaram entre o nascimento e sua chegada a Belém.

Surpreso? Então veja só o que Herodes fez. Quando os sábios não voltaram para lhe dar notícia – Deus avisou para que voltassem por outro caminho – ficou furioso. Tão furioso que mandou seus guardas a Belém para matarem todos os meninos da cidade e arredores com idade até dois anos. Isso mesmo, todos os meninos de Belém e vizinhança com até dois anos de idade. Aquelas crianças não receberam a visita de Papai Noel com um saco de presentes, mas dos soldados para matá-las com espadas e lanças. O primeiro e verdadeiro Natal foi um infanticídio, um extermínio em massa de crianças até dois anos de idade. Enquanto isso, avisados por Deus, José e Maria fugiam para o Egito levando o menino Jesus, que devia ter até dois anos de idade.

Você já percebeu que o mundo daquela época não desejava nem um pouco Jesus – nem Herodes, nem o povo, nem os sacerdotes e escribas, nem os soldados. Percebe que são as mesmas classes de pessoas – governo, povo, religião, sábios e militares – que aparecem na cena da crucificação? Nem o mundo nem as pessoas mudaram nesses 2 mil anos. "Não queremos que este reine sobre nós" (Lucas 19:14) continua sendo o que a maioria das pessoas realmente diz para Jesus.

É isso. Este mundo não é nenhuma Disneylândia, as pessoas não mudaram e nem vão mudar a menos que... Bem, o evento mais importante da vinda de Jesus a este mundo não foi Seu nascimento, mas SUA MORTE. Ele morreu para que aqueles que creem nEle pudessem nascer de novo – um novo nascimento espiritual – com um coração limpinho, do jeito que Deus gosta. Para isso Jesus teve que pagar por nossos pecados na cruz, substituindo aqueles que O aceitam como Salvador. 

Então não é ficando bonzinho que a gente vai para o céu? Bem, talvez você ganhe mais presentes de Natal ficando bonzinho, mas nunca vai ganhar a salvação eterna tentando fazer isso. Primeiro, porque a salvação é um presente de Deus, é grátis porque Jesus pagou seu preço na cruz. Segundo, porque ninguém consegue ser bonzinho o suficiente – o padrão é o próprio Deus – para chegar lá. Deus salva e transforma aqueles que vão a Cristo com todos os seus defeitos, pecados, vícios, problemas. Ele sabe exatamente o que cada um está passando. 

M. Persona. Fonte: http://www.respondi.com.br/2007/12/o-que-voc-acha-do-natal.html

domingo, 14 de dezembro de 2014

Uma Jovem Singular

(Mensagens de Natal. Comentário do Evangelho de Lucas, capítulo 1)

Veja: 



Zacarias e Isabel oravam por um filho e Deus atendeu suas orações, apesar de serem velhos e terem dúvidas se Deus responderia. Agora a visita do anjo não é a um velho sacerdote no templo de Jerusalém, mas a uma jovem chamada Maria. 

Lucas não revela sua idade, mas naquela época e lugar as meninas deviam ter no mínimo 12 anos para se casarem, e os meninos 13. Maria deve ter entre 12 e 14 anos. Ela ainda não é casada com José, apenas desposada, uma espécie de noivado com status de casamento, porém sem relações sexuais. Maria é a virgem.

Mas por que dizer que ela é a virgem e não uma virgem? Porque é assim que Deus a chama na profecia de Isaías: "Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel" (Is 7:14). Setecentos anos antes Deus já tinha escolhido o ventre no qual seu Filho assumiria a forma humana. 

Ela já tinha sido mencionada na primeira vez em que o evangelho foi proclamado no jardim do Éden. Em Gênesis lemos que Deus avisou Satanás: "Porei inimizade entre você e a mulher, entre a sua descendência e o descendente dela; este lhe ferirá a cabeça, e você lhe ferirá o calcanhar" (Gn 3:15). A mulher seria Maria, e seu descendente, Jesus.

Por isso o anjo a chama de agraciada, isto é, beneficiada com graça. Ele não a chama de "cheia de graça", como alguns costumam dizer, pois isto faria dela a fonte de graça, o que obviamente ela não é. (Veja nota de rodapé)

Imagine se você fosse uma jovem de treze anos e um homem aparecesse dentro de sua casa dizendo ser um anjo. Como você reagiria? Ficaria perturbada, como Maria fica aqui. Gabriel a tranquiliza explicando que ela tinha sido agraciada por Deus. Talvez ela ficasse mais tranquila se ele não continuasse a mensagem: 

"Você ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo. O Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi, e ele reinará para sempre sobre o povo de Jacó; seu Reino jamais terá fim" (Lc 1:31-33).


Como se a presença de um anjo já não fosse demais para ela, o que ele diz é de tirar o fôlego: Ela irá engravidar, o filho terá um nome que significa "Jeová é o Salvador", será um grande homem e ao mesmo tempo divino, o Filho do Altíssimo. Ele assumirá o trono de Davi e seu reino não terá fim. Que Deus preparou Maria para isso não há dúvida. Que garota teria recebido tal informação sem desmaiar ou se desesperar? 

M. Persona. Fonte: http://www.3minutos.net/2012/03/314-uma-jovem-singular.html

[[ Nota de rodapé: não se sinta ofendido se isso se chocar contra sua religião, a sua fé é você que decide. Mas vamos aos fatos: a palavra em grego usada em Lucas 1:28 é κεχαριτωμενη (kecharitomené), que significa "favorecida". Veja: http://biblehub.com/greek/kecharito_mene__5487.htm. Em outra passagem, sobre Jesus, é dito: "E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade." (João 1.14)As palavras gregas aqui são πληρης χαριτος (pleres charitos). Pleres significa "cheio", "pleno". Charitos vem de charis, que significa "graça", "favor imerecido". Apenas Jesus é fonte de graça, por Ele ser Deus, sem pecado, e por ter morrido em seu lugar na cruz para que você pudesse ser salvo exclusivamente por graça. ]]

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

O Melhor Presente de Todos

O Natal é a época do ano em que enfrentamos shoppings lotados, gastamos até o último tostão e estouramos o limite do cartão de crédito tentando comprar presentes para todos os que amamos – e até para alguns que não amamos.

Mas o maior presente de todos não custa nem um centavo. Não é preciso ficar em pé numa loja apinhada de gente esperando ser atendido para poder comprá-lo. Não é preciso esvaziar a carteira para pagar por ele. E não é preciso sacar o cartão de crédito e acrescentar mais um débito à sua conta já sobrecarregada.

De fato, não é possível comprar esse presente. Tudo o que podemos fazer é recebê-lo. Outra pessoa o comprou para nós. E lhe custou tudo o que tinha.

Na verdade, ele é um presente de muitas facetas, como uma jóia – mas muito melhor. Ele nunca sai de moda. Não se pode perdê-lo. Ele não pode ser arrancado, nem roubado. Ele jamais se quebra, nem precisa de conserto. Não precisamos comprar uma garantia para ele. Além disso, à medida que o tempo passa, ele vai melhorando cada vez mais.

Esse presente existe em quantidade suficiente para todas as pessoas do mundo. Infelizmente, muita gente não sabe nada a respeito dele, ou não entende que tudo o que precisa fazer é pedi-lo. Ninguém jamais tem seu pedido recusado.

Esse é o melhor presente de Natal que alguém pode receber. Aqui estão algumas coisas que vêm junto com ele: perdão dos pecados (Ef 1.7), paz (Jo 14.27), amor (Rm 8.35), vida eterna (Jo 3.16), vida abundante (Jo 10.10), a garantia de uma herança (Ef 1.3,11,14) e um corpo novinho em folha, no futuro (1 Co 15.50-54).
 
 

Para receber esse presente, tudo o que você tem a fazer é concordar com Deus e admitir que você é pecador. A Bíblia diz: “Não há homem justo sobre a terra que faça o bem e que não peque” (Ec 7.20). Se você já fez alguma coisa que o próprio Deus não faria, você está fora dos padrões dEle (Lv 20.7; Rm 3.23). Portanto, está qualificado a receber esse presente. Na verdade, você precisa dele. Foi por isso que Deus o preparou para você.

“Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo [o Messias] morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm 5.8). Jesus recebeu o castigo pelos pecados que você cometeu, porque Ele o ama. E, porque Ele é Deus, ressuscitou dentre os mortos e está pronto a dar-lhe o presente da vida eterna. Tudo o que você tem a fazer é pedir.

Mas como você pode ter certeza de que Ele realmente lhe dará esse presente? Porque Ele mesmo diz: “O que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora” (Jo 6.37). “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6.23).

Você não gostaria de receber agora mesmo o presente da vida eterna que Deus tem para lhe dar? Basta pedir. Será o melhor presente que você já ganhou na vida. E não existe melhor época para recebê-lo do que agora!
 

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

A Ressurreição

(Leitura: Mateus 28:1-7)
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=SlBsCnpqdXY

No primeiro dia da semana encontramos duas mulheres tristes, Maria de Magdala e a outra Maria, mãe de Tiago e José, dirigindo-se ao sepulcro de Jesus. Antes tinha ocorrido um terremoto e um anjo havia removido a pedra da entrada do sepulcro, sentando-se sobre ela. E os guardas o sepulcro? Bem, os guardas desmaiaram quando viram aquilo.

O anjo diz às mulheres para não terem medo, pois Jesus tinha ressuscitado. O anjo diz para elas olharem o lugar onde ele jazia dentro do sepulcro em forma de gruta. A pedra havia sido removida não para Jesus sair, mas para as mulheres entrarem, pois ele podia atravessar paredes em seu corpo ressuscitado. O anjo diz a elas para irem contar para os discípulos que Jesus tinha ressuscitado.

As boas novas de Deus estariam incompletas sem este capítulo que fala da ressurreição de Jesus. Sem ela não haveria esperança para a humanidade. O apóstolo Paulo diz, em sua primeira carta aos Coríntios, que "se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm". Ouviu isso? Se você crê em tudo a respeito de Jesus, mas duvida da ressurreição, está perdendo seu tempo.

Paulo explica que a morte entrou no mundo por um só homem, Adão, e a ressurreição dos mortos veio igualmente por meio de um só homem, Jesus. Todos os que estão em Adão morrem; todos os que estão em Cristo ressuscitarão. O primeiro homem, Adão, é o homem natural, terreno, mortal. O segundo homem, Jesus, é o homem espiritual, celestial, eterno. Em quem você está?

O corpo de Jesus na sepultura não foi substituído por outro, ele ressuscitou. Assim também os que creem nele ressuscitarão em corpos transformados, mas guardando as características de individualidade que tinham quando viveram aqui. A ressurreição não é uma reencarnação ou o espírito da pessoa vindo morar em outro corpo. A ressurreição não é tampouco uma reforma do corpo velho e nem o retorno da pessoa em um corpo etéreo e imaterial.

O corpo de Jesus ressuscitado é matéria, porém uma matéria diferente da que conhecemos. Se ele podia atravessar a parede para se encontrar com seus discípulos em um aposento com as portas fechadas, ele também podia comer peixe e mel para provar que não era um espírito vagando por aí. Neste exato momento há um Homem no céu, Jesus, em carne e ossos, o precursor de muitos que ressuscitarão como ele ressuscitou e viverão assim, num corpo, por toda eternidade. Eu serei eu, você será você; eu terei meu corpo, você terá seu corpo, incorruptível, imortal, inigualável.

Nenhuma obra de ficção escrita por homens jamais poderá descrever o que está preparado para aqueles que creem em Jesus, que morreu para nossa salvação e ressuscitou para nossa justificação. Nos próximos 3 minutos as mulheres se encontram com o ressuscitado.

M. Persona. Fonte: http://www.3minutos.net/2009/03/124-ressurreicao.html

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Que Culpa Eu Tenho?

Muitas vezes, quando se fala da mensagem da Bíblia sobre o estado do ser humano, perdido em pecados, e separado de um Deus santo e justo, cujo padrão é perfeito e não pode tolerar o pecado, as pessoas logo replicam com diversos argumentos procurando rejeitar essa ideia. Um dos argumentos mais comuns é "eu não tenho culpa se aqueles tais de Adão e Eva (se é que existiram) pecaram... se foram eles que desobedeceram a Deus, o que eu tenho a ver com isso?"

Querido leitor, só gostaria de te fazer uma pergunta: Você acha que você não tem pecado? Não é nem sobre Adão ou Eva ou o diabo que estou falando aqui, mas é sobre você, eu e todo mundo... será que não pecamos?

Eu não sou religioso como você talvez possa pensar por eu estar dizendo essas coisas. Pelo contrário, acredito que a religião seja um dos maiores males criados pelo homem, e já explico porque estou dizendo isto. Mas estou falando sobre o que a Bíblia, a Palavra de Deus, diz sobre nossa condição neste mundo. Ela diz que "todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus" (Romanos 3:23). Talvez você não creia nisto, mas imagine (apenas imagine, não custa nada) por um momento que o que a Bíblia diz seja verdade, que você é pecador e que Deus é santo e justo e não pode tolerar o seu pecado. Imagine que você morra neste exato momento e tenha que se encontrar com esse Deus (Hebreus 9:27). O que você vai dizer a Ele? Certamente você não teria chance alguma e teria que ser condenado pelo seu pecado, pois estará diante de Deus, cujo padrão é perfeito, e que "não tem ao culpado por inocente" (Êxodo 34:7).

Mas Deus ama tanto você que não quer te condenar, não quer que você receba o castigo pelos seus pecados, por mais que você mereça. Por isso ele enviou Seu Filho unigênito para receber o castigo que você merecia, em seu lugar. A condenação que você merecia pelos seus pecados caiu sobre Ele, o próprio Filho de Deus por meio do qual todas as coisas foram criadas (Colossenses 1:16), para que você possa "ser justificado [tornado justo] GRATUITAMENTE por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus." (Romanos 3:24).

É essa a mensagem da Bíblia!! Ela não diz pra você ir em alguma religião (que significa "fazer algo pra se religar a Deus") ou cumprir uma série de regras, mas apenas crer que Jesus tomou seu lugar na condenação, e triunfou sobre a morte tendo sido ressuscitado ao terceiro dia. A salvação dos seus pecados é de graça, basta crer nesse bendito Salvador.

Após crer nEle como seu Senhor e Salvador, não há mais temor quanto à morte, pois quando você for se apresentar diante de Deus, Ele não verá mais pecado em você. Ele verá o sangue do Senhor Jesus que foi derramado por você e te purificou de todo pecado (1 João 1:7)

”Porque Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus” (1 Pedro 3:18)

"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom (dádiva/presente) de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie." (Efésios 2:8-9)

H. H. Monte-Alto

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

A Sepultura

(Leitura: Mateus 27:55-66)

Vídeo:


Depois de nos acostumarmos a ver Jesus sempre acompanhado de seus apóstolos, a cena de sua morte revela uma mudança radical. Seus discípulos desaparecem e as pessoas mais improváveis são as que irão lidar com seu corpo morto. Não são os apóstolos que encontramos aos pés da cruz, mas as mulheres que serviram Jesus. Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e de José, e também a mãe dos filhos de Zebedeu.

Os profetas do Antigo Testamento tinham previsto que Jesus seria contado com ladrões, o que aconteceu na cruz. Isaías previu também que providenciariam para que ele fosse sepultado com os ímpios, talvez numa vala comum aos criminosos, porém ele ficaria com o rico na sua morte. E é um rico que vai pedir a Pilatos para liberar o corpo para ser sepultado. José, da cidade de Arimateia, era um membro do sinédrio, uma espécie de suprema corte de Israel. Ele possuía um sepulcro novo, uma gruta escavada numa rocha com uma grande pedra circular fechando a entrada.

Jesus é sepultado, o sepulcro é fechado com a pedra e Pilatos ordena que soldados guardem o túmulo nos próximos três dias. Os sacerdotes pediram isso, pois temiam que os discípulos roubassem o corpo e depois dissessem que Jesus tinha ressuscitado, conforme havia prometido.

José tem a ajuda de Nicodemos, igualmente um membro do sinédrio e discípulo secreto de Jesus. No Evangelho de João ele aparece indo encontrar-se com Jesus à noite, por medo dos judeus. Não era apenas Jesus que estava sendo sepultado naquele momento. José e Nicodemos enterravam também suas carreiras. Quando nem mesmo os apóstolos queriam ter qualquer ligação com um cadáver, esses dois homens arriscam tudo ao darem um testemunho público de sua fé em Jesus.

Se você é cristão e se acha um exemplo de fidelidade a Deus, pode apostar que na hora do aperto encontrará as pessoas mais improváveis dando um testemunho melhor que o seu. Quantas vezes você se envergonhou de falar do evangelho a alguém com medo de ser ridicularizado? A menos que você dilua sua fé ou a adapte ao mundo, você não terá muitos amigos sendo cristão. É claro que você sempre vai encontrar políticos que se tornam "cristãos" entre aspas para conquistar votos, ou artistas decadentes que decidem explorar o filão "evangélico", também entre aspas, mas não é desse cristianismo que estamos falando aqui.

Seguir a Jesus nunca será um bom negócio nesta vida. Você será bem visto na sociedade se disser que lê Paulo Coelho, gosta do Dalai Lama ou acredita ter sido Sinhá Moça em outra encarnação. Mas experimente dizer que é um crente em Jesus, para ver o que acontece. Ao orar ao Pai, Jesus disse, daqueles que o seguem: "Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo". Portanto, se você busca pela aprovação do mundo, Jesus não é para você. Mas se busca a aprovação de Deus, então creia nele como seu Salvador para receber o perdão de seus pecados e ter um lugar garantido eternamente, não no mundo, mas no céu.

Nos próximos três minutos, a ressurreição. 

domingo, 23 de novembro de 2014

O Gol da Sua Vida


A final da Copa Européia de 2007 entrou para a história do futebol como a “Noite de Belgrado”. Era a primeira final de um grande campeonato e que foi decidida com cobranças de penalidades máximas. O placar do tempo regulamentar, no jogo entre a Alemanha e a antiga República da Tchecoslováquia, havia sido de 2 x 2. O que ficou especialmente marcado foi o penalty perdido por Uli Hoeneß, que deu a vitória aos tchecos.

Hoje, o argentino Lionel Messi está entre os melhores jogadores de futebol de todos os tempos. O espetacular “gol dos sonhos”, que ele marcou no jogo contra o Getafe pelo Campeonato Espanhol em 2007, permanece vivo na memória. Ele avançou driblando desde a linha divisória, contornou adversários como se fossem mastros de bandeiras e, antes de chutar para o gol, ainda tirou o goleiro da jogada.

Os jornais de Barcelona comemoraram a jogada como o “gol do século”. De todos os gols marcados por Messi, pelo Barcelona F.C., provavelmente nenhum outro teve tantas visualizações no Youtube. Em uma entrevista, no ano de 2010, ele declarou, entre outros: “Na verdade, sou uma pessoa normal, calma, do tipo familiar. Não tenho talismã, nem rituais. Não necessito de nada disso. Sou uma pessoa crente e isso basta”.

O pior que pode acontecer a um jogador é, no momento decisivo, errar o gol e perder o jogo. Os torcedores põem suas esperanças no seu time. Talvez eles até façam investimentos consideráveis para assistir aos jogos. No entanto, a decepção é enorme quando sua equipe erra os gols decisivos.

No texto original do Novo Testamento, a palavra “pecado” significa: “não acertar” ou “errar o alvo”.

Não é nenhum pecado perder um jogo de futebol. No entanto, é pecado quando erramos a nossa meta, quando vivemos erradamente diante de Deus. Sim, a vida pode ser resumida em apenas um chute errado. É verdade que existem altos e baixos, alegrias e tristezas, sucessos e fracassos, vitórias e derrotas, momentos de felicidade e decepções. No final das contas, no entanto, resta decepção, o chute no vazio. No jogo da vida, a maioria das pessoas está no lado perdedor. – Falando nisso, como está a sua situação?

Talvez você possua tudo o que é essencial, porém, lhe falta a felicidade; a sua vida perdeu o sentido e agora você se arrepende por tantos chutes errados... Comparando a um jogo de futebol, no momento decisivo, você deveria ter passado a bola, recuado ou simplesmente não ter cometido tantas faltas.

No chute decisivo, não importa se você errou por um centímetro ou por dez metros. “Errar por pouco também é errar!” Se você erra o alvo da vida por pouco, pois você às vezes vai à igreja e até não é tão mau como os outros ou, talvez, você tenha cometido faltas mais graves e agora chegou ao fundo do poço – errado é errado, seja por muito ou por pouco!

A Bíblia faz uma constatação sem rodeios:

“Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3.23);
“Porque todos tropeçamos em muitas coisas” (Tiago 3.2);
“...desviaram-se como um arco enganoso” (Salmo 78.57).

Que bom seria se, ao contrário disso, ainda pudéssemos marcar o gol da nossa vida! Se, assim, esse gol pudesse apagar todos os erros e faltas do passado e que somente este chute genial permanecesse nos registros...

Há Alguém que marcou um gol monumental por nós. Alguém que nunca cometeu nenhuma falta – diga-se: pecado – durante Sua vida na terra: Jesus Cristo! Através da Sua morte e ressurreição, Ele marcou o gol que decide tudo, definitivamente. Esse “gol” tem valor perante Deus e é válido para todo aquele que crê em Jesus. Isso significa: Jesus assume a sua culpa e transfere a vitória dEle para você, considerando você como o vitorioso.

As vitórias neste mundo não duram por muito tempo e, assim, também as alegrias passam rapidamente. No entanto, existe uma alegria que permanece por toda a Eternidade. Jesus Cristo diz:

“...alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus” (Lucas 10.20 – ACF.)

O que você faz durante o “tempo de jogo” da sua vida? Talvez você já passou da primeira etapa ou está no fim do segundo tempo ou, até, na prorrogação? Lembre que você ainda tem a chance de marcar o gol de sua vida – o próprio Deus lhe dá essa chance e a garantia para o chute certeiro.

Zé Roberto, ex-jogador do Bayern e da Seleção Brasileira, declarou: “Estou feliz em ter confiado minha vida a Jesus, ainda jovem. O futebol é um esporte de vida curta e chegará o dia em que todos os títulos, honrarias e vitórias cairão no esquecimento – essa é a vida! ...O dinheiro acabará, a fama passará rapidamente, mas Deus é diferente. Hoje Deus está comigo e amanhã eu viverei em um lugar muito melhor, com Deus”.

A Palavra de Deus diz:

“Mas a Escritura encerrou tudo sob o pecado, para que, mediante a fé em Jesus Cristo, fosse a promessa concedida aos que crêem” (Gálatas 3.22).

O jogador teuto-brasileiro Cacau, que já defendeu a Seleção Alemã, afirma: “Quando você convida a Jesus para participar da sua vida, você recebe algo de valor eterno. Ao contrário do êxito no esporte, não é algo passageiro. Não existe base melhor para a vida. Através de Jesus eu tenho valor que não depende de pessoas ou de sucesso no esporte”.

Quando confiamos em Jesus Cristo, recebemos um lugar no Céu. Este é o gol decisivo de nossa vida! Não continue sendo um perdedor, mas torne-se um vencedor – creia no Senhor Jesus!

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

O Véu Rasgado

(Leitura: Mateus 27:50-54)

Vídeo:


Quando Jesus dá o brado que assinala o momento de sua morte, a criação entra em convulsão, solidária ao Criador. A terra treme, as rochas quebram, sepulcros se escancararam. Após a ressurreição de Jesus, muitos veriam sair desses sepulcros pessoas ressuscitadas.

Nem o Templo em Jerusalém sai intacto. No momento da morte , o véu, que impedia o acesso ao Santo dos Santos, rasgou-se de alto a baixo, de Deus para o homem. Era naquele aposento que ficava a Arca da Aliança que os israelitas conduziram por 40 anos pelo deserto em sua peregrinação do Egito à terra prometida. A arca representava a própria presença de Deus e ninguém podia tocá-la, ou seria morto.

Apenas o sumo-sacerdote podia entrar no Santo dos Santos uma vez por ano levando uma tijela com sangue de um animal sacrificado. Ele borrifava o sangue na tampa da arca, chamada de propiciatório. Qualquer outro que entrasse ali seria morto, inclusive o sacerdote, caso não levasse o sangue. O medo que as pessoas naturalmente têm de se encontrar com Deus é justificado. Encontrar-se com ele sem o salvo conduto do sangue é condenação certa.

A ideia não é estranha. Todos os dias somos obrigados a apresentar algum tipo de salvo conduto ou ingresso para entrar em algum lugar. Você precisa apresentar o ingresso, a passagem ou o crachá, se quiser entrar no cinema, no avião ou na empresa. Dependendo do país você corre o risco de ser morto caso tente atravessar a fronteira sem o passaporte e o visto.

Se antes o acesso à presença de Deus era limitado ao sacerdote hebreu levando o sangue de um animal, agora esse acesso está franqueado a todo aquele que crê no verdadeiro Cordeiro de Deus, Jesus, e na eficácia de seu sangue derramado na cruz. Algumas religiões ainda insistam em dizer que você precisa de um sacerdote para representá-lo diante de Deus ou para garantir esse acesso, mas o próprio apóstolo Pedro descarta essa ideia. Ele escreveu que os que creem em Jesus são uma "geração eleita, um sacerdócio real, uma nação santa, um povo exclusivo de Deus". (1 Pedro 2:9)

Na carta aos Hebreus diz que todo aquele que crê em Jesus, tem "ousadia para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus, por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, por sua carne". Se você crê em Jesus os seus privilégios de acesso são infinitamente maiores do que o dos sacerdotes judeus. Não deixe que alguém que se intitule "sacerdote" tire de você esse privilégio, ou queira se colocar entre você e Deus. A Palavra de Deus é clara: "Há um só Deus e um só mediador [ou intermediário] entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem". (1 Timóteo 2:5)

Mas, e se alguém disser que você precisa de um intermediário ou mediador para ir a Jesus? Bem, então ouça o que ele mesmo diz: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei".

domingo, 9 de novembro de 2014

O Bom Samaritano

Você já leu a história do Bom Samaritano? Você pode lê-la na Bíblia, em Lucas 10. É a história em que Jesus fala de um homem que foi assaltado por salteadores enquanto andava de Jerusalém a Jericó. Eles o feriram e o deixaram à beira da estrada moribundo. Isto nos faz lembrar de como o pecado nos fere e nos deixa incapazes de ajudarmos a nós mesmos.

A história bíblica conta que a primeira pessoa que passou pelo homem ferido nem mesmo parou para perguntar se podia ajudar! Era uma pessoa religiosa, mas estava muito ocupada para parar. A segunda pessoa que passou por ele não parou para ajudá-lo também. Finalmente, lemos do samaritano, que não apenas parou, mas pegou o homem e o colocou sobre suas próprias costas, carregando-o até uma estalagem.

 

O Bom Samaritano de Melody


Algo muito similar aconteceu uma vez a Melody quando ela tinha nove anos de idade. Ela estava em um acampamento nas montanhas onde havia cerca de cinco pés de neve sobre o solo. Melody estava cortando caminho entre o refeitório e a cabine quando sua bota ficou presa na neve... e ela não conseguia tirar o pé dali! No entanto, ela estava muito próxima de um caminho estreito que descia a alta colina.

Logo veio uma senhora descendo pelo caminho e parou para perguntar por que Melody estava ali cavando na neve. Melody explicou que sua bota ficou presa e ela não conseguia sair. A senhora disse que lamentava, mas que se ela ajudasse a cavar ela estragaria suas roupas. Então ela continuou, dizendo que veria se alguém podia ajudar. A próxima pessoa a passar por Melody era um homem assobiando que nem mesmo parou.

Então Melody viu seu pai em pé no topo da colina. Ela sabia que seu pai a amava e não a deixaria presa ali. Ela o chamou, e ele desceu para ajudá-la a tirar seus pés dali.

Quando Melody viu seu pai vindo, você acha que ela falou pra ele que não precisava dele? Não! Ela sabia que precisaria de alguém maior que ela para tirar suas botas da neve. Você acha que o homem ferido à beira da estrada disse ao samaritano que ele iria logo se recuperar se fosse deixado sozinho? Não! Mas muitas pessoas parecem pensar que elas podem se livrar de seus pecador por si mesmas! Não é isso uma tolisse? Há apenas uma Pessoa que pode tirar teus pecados.

 

Também Precisamos do Bom Samaritano


Ele é o Filho de Deus, o Senhor Jesus Cristo. Ele morreu na cruz do Calvário para tirar os pecados de todo aquele que O aceitar como Salvador. "Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios [pecadores]" (Romanos 5:6).

Depois que o samaritano, que é uma figura de Jesus, resgatou o homem ferido, ele pagou o estalajadeiro para tomar conta do homem e prometeu voltar mais tarde. Jesus voltará em breve para levar ao Céu todos que pertencem a Ele! Você estará pronto para Ele? Você precisa crer que Jesus pagou o preço pelos seus pecados. "Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo" (Atos 16:31). "A todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome" (João 1:12).

Fonte: http://bibletruthpublishers.com/gospel-tract-the-good-samaritan-full-color-tract-bible-story-Gods-love-children/pd8324

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A Morte Voluntária

(Leitura: Mateus 27:45-54; João 19:28-37)

Vídeo:

Depois de ser humilhado e castigado na cruz pelos homens durante três horas, a terra é envolta em espessas trevas. Chega a hora de Jesus ser feito pecado por nós, receber sobre o seu corpo os pecados de todos os salvos por ele e sofrer o juízo de um Deus santo. Se nas três primeiras horas ele ficou entre os homens e Deus, absorvendo todo o ódio endereçado ao Criador, nas três horas de trevas ele fica entre Deus e os homens, absorvendo o juízo divino contra o pecado.

No final de sua agonia Jesus dá o mesmo brado descrito por Davi mil anos antes no Salmo 22: "Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?" O evangelho de João revela as palavras que trazem consolo a todo pecador que esperava que Deus resolvesse a questão do pecado: "Está consumado!" Está pronto, está acabado, a obra já foi realizada, nada mais precisa ser feito. Então Jesus pende a cabeça e entrega o espírito.

Embora os homens sejam responsáveis por entregar o Filho de Deus à morte, ninguém matou Jesus. É importante você se lembrar de que Jesus é Deus e, ao adotar a forma humana, entrou neste mundo de uma forma ímpar, gerado pelo Espírito Santo e nascido de uma virgem. Apesar de assumir a forma humana, ele não herdou a natureza pecaminosa de Adão, portanto não tinha pecado, nunca pecou e jamais poderia pecar.*

Foi o pecado que trouxe a morte ao ser humano. Como Jesus não tinha pecado, não estava sujeito à morte. Esqueça os artigos, livros e documentários que tentam explicar a morte de Jesus do ponto de vista médico. Ele não morreu como consequência da crucificação, ele simplesmente deu sua vida. Ele decidiu morrer e morreu, algo que nenhum de nós é capaz de fazer com as mãos e os pés atados.

No capítulo 10 do evangelho de João ele prometeu que daria a vida por suas ovelhas e também mostrou que morrer seria um ato voluntário. Ele tinha o poder de morrer e de voltar a viver. Jesus disse: "Por isso é que meu Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la. Ninguém a tira de mim, mas eu a dou por minha espontânea vontade. Tenho poder para dá-la e para retomá-la. Esta ordem recebi de meu Pai".

No fim do dia os soldados quebram as pernas dos dois ladrões crucificados para acelerarem sua morte. O diafragma de alguém pendurado de braços abertos e sem apoio para de funcionar e a pessoa não consegue respirar. Quando chegam a Jesus, para quebrarem suas pernas, descobrem que ele está morto. Então o soldado enfia sua lança no lado de Jesus e sai sangue e água.

Durante séculos milhares de animais foram sacrificados para permitir que os sacerdotes de Israel entrassem na presença de Deus levando o sangue de uma vítima inocente. Agora o sangue do verdadeiro Cordeiro de Deus está disponível para purificar todo aquele que crê em Jesus, e torná-lo apto a entrar na presença de Deus sem ser consumido. "O sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado". Você crê nisso?

*Apesar de alguns acharem que Jesus poderia pecar, ele "não conheceu pecado" 2 Co 5:21, "não cometeu pecado" 2 Pe 2:20, "e nele não há pecado" 1 Jo 3:5. Para saber mais sobre este importante assunto, leia o artigo "Jesus não poderia pecar".

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Ouça com Atenção!

Você ouve com atenção quando alguém fala com você? Você deveria, especialmente se a pessoa está te contando algo que pode salvar sua vida.

Paul Nordin tinha apenas cinco anos de idade, mas ele ouviu atenciosamente os dois visitantes que falavam à turma de jardim de infância na escola. Era a Semana da Prevenção de Incêndios, e dois bombeiros da cidade estavam mostrando às crianças algumas das coisas mais perigosas que poderiam causar incêndio em suas casas. Eram coisas como fósforos, panos gordurosos, fios elétricos desencapados e latas de aerosol. Os bombeiros mostraram às crianças o que fazer se suas roupas pegassem fogo. Eles também explicaram como engatinhar bem próximo ao chão se estivessem em um aposento cheio de fumaça. Sim, Paul ouviu com atenção o que os dois bombeiros disseram naquele dia, e fez muito bem!
Não somos gratos por haver bombeiros, policiais e outros que nos ajudam e nos protegem? É bom quando eles nos explicam o que fazer quando estamos em perigo - especialmente quando há perigos perto da gente que não conhecemos.

É por isso que também deveríamos ser gratos pela Bíblia, a Palavra de Deus, estar disponível para a lermos. A maioria das pessoas têm pelo menos uma Bíblia em casa. Mas quantos a lêem? Se você não lê, então está em grande perigo, pois ela nos conta algo muito importante.

Deus nos conta na Bíblia que todos somos pecadores. Pelo fato de todos sermos pecadores, estamos todos em terrível perigo de ter que passar a eternidade no inferno por causa de nossos pecados.  Mas a Bíblia também nos diz que Deus nos ama e nos quer no Céu junto com Ele. Ela explica que o Filho de Deus, o Senhor Jesus Cristo, nos ama tanto que, voluntariamente, foi pregado na cruz do Calvário. Ele levou a punição pelos nossos pecados, bastando que O aceitemos como nosso Salvador.

Se qualquer um de nós ficasse preso em um edifício em chamas, diríamos a um bombeiro que viesse nos resgatar para "ir embora"? Não! Ficaríamos gratos que ele veio e faríamos exatamente o que ele pedisse para nos conduzir para fora em segurança. O Senhor Jesus disse: "Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." (João 14:6). Ele é o único "Caminho" que conduzirá ao lugar seguro.

Duas semanas após ouvir os dois bombeiros, Paul usou o que tinha aprendido. Após sair do ônibus escolar, enquanto andava até sua casa, ele viu fumaça saindo de lá. Correndo para dentro, tentou conter o fogo com um travesseiro, mas faíscas incendiaram suas calças. Então, ele largou o travesseiro e rapidamente tirou suas calças. Depois disso, ele imediatamente se pôs sobre seus braços e pernas e engatinhou para fora da casa esfumaçada, para a segurança! Ele estava sozinho no momento.

A mãe de Paul chegou em casa apenas cinco minutos depois. Ela viu as fumaças saindo pelas janelas e, quando abriu a porta da frente, a casa explodiu em chamas! Ela correu para os fundos da casa e encontrou Paul engatinhando para fora, para o quintal dos fundos. Quando ela perguntou, mais tarde, como ele sabia que deveria engatinhar para fora usando o ar bom que fica próximo ao chão, ele respondeu que os bombeiros na escola tinham lhe ensinado a fazer assim.

Os bombeiros tinham dado a Paul as instruções corretas. Mas, tão importante quanto isso, era que Paul tivesse ouvido com atenção e seguido aquelas instruções. A melhor instrução não pode ajudar e não a seguirmos.

Deus tem algumas instruções para nós: "Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa" (Atos 16:31)

Se seguirmos as instruções de Deus, temos Sua promessa: "O que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora." (João 6:37)

E você, está seguro?


Fonte: Messages of God's Love (2001)

dade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

João 14:6
Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

João 14:6
Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

João 14:6
Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

João 14:6
Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

João 14:6
Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

João 14:6
Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

João 14:6
Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

João 14:6

O Mau Ladrão

(Leitura: Mateus 27:44; Lucas 23:39-43)

Vídeo:


Aos pés da cruz você encontra de tudo: religiosos, soldados, políticos, juízes, ricos e pobres, todos contra o Filho de Deus. Até o mundo do crime está ali representado pelos dois ladrões crucificados com Jesus. 700 anos antes Isaías previra que o Messias seria "contado com os transgressores".

No início os dois criminosos zombam de Jesus, mas quando um deles grita: "Você não é o Cristo? Salve-se a si mesmo e a nós!", o outro o repreende, dizendo: "Você não teme a Deus, nem estando sob a mesma sentença?" Quem é esse ladrão que de repente muda de lado?

Séculos depois alguém inventaria uma biografia para ele. Seu nome seria Dimas, ladrão e assassino perigoso, filho de um chefe de quadrilha. Porém - e agora vem a melhor parte - Dimas, que matou seus próprios irmãos, não matava velhos, mulheres e crianças, e teria ajudado a família de Jesus durante fuga para o Egito. Quem disse isso? A tradição.

Quando você lê os evangelhos não está lendo o que diz a tradição. Está lendo autores, inspirados por Deus, que relatam o que viram ou ouviram de testemunhas que ainda estavam vivas quando os textos foram escritos, copiados e lidos em todo lugar. Qualquer um poderia desmentir a história toda, caso não passasse de lenda. Se você acredita no jornal que está na banca, não há razão para duvidar dos evangelhos.

A tradição, porém, tem um caráter diferente, pois pode incluir lendas e fantasias. Religiões baseadas na tradição são cheias de misticismo, crendices e superstições, que mais servem para escravizar seus adeptos do que para libertá-los. O cristão não segue esse tipo de tradição, mas o relato dos fatos, como o próprio Pedro escreveu em sua segunda carta:

"De fato, não seguimos fábulas engenhosamente inventadas, quando lhes falamos a respeito do poder e da vinda de nosso Senhor Jesus Cristo; pelo contrário, nós fomos testemunhas oculares da sua majestade". (2 Pedro 1:16)

A tradição, que inventou uma maquiagem para aquele criminoso e o apelidou de "bom ladrão", tenta dar a ele o mérito por sua salvação. Se você chama de "bom" um criminoso, que num assalto mata apenas o pai de família, poupando a mãe, os filhos e a avó, então vá em frente, acredite na tradição.

Foi a Palavra de Jesus que transformou o coração daquele criminoso. Ele acabara de ouvir Jesus dizer: "Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem". Se aquele Jesus podia interceder pelos cruéis algozes, havia uma chance para ele também. O bandido suplica: "Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu Reino". Jesus responde: "Eu lhe garanto que hoje você estará comigo no paraíso". Minutos depois aquele homem estava no paraíso, não por ser um "bom ladrão", mas por ser um pecador convicto, que confiou na graça e na misericórdia de Deus.
 
M. Persona. Fonte: http://www.3minutos.net/2009/03/120-o-mau-ladrao.html

Postagens populares